PROCURE SOBRE UMA HISTÓRIA:

Barra horizontal

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Para Educar Crianças Feministas - Chimamanda Ngozi Adichie

Tá aí um livro que você para e pensa "cara, eu preciso dar isso de presente para todo
mundo".

O objetivo nesse rápido texto é que possamos perceber a necessidade de educarmos as futuras gerações entendendo que homens e mulheres devem ser criados de maneira que ambos vejam suas capacidades e oportunidades como iguais.

Mais que isso, precisamos dar ferramentas para as garotas verem seus potenciais principalmente quando inseridas numa sociedade que ainda as poda e as coloca num lugar menor.

Bem, mas como exatamente Adichie faz isso, não é mesmo?

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Deixa Eu Te Contar - Raquel Mariano Linhares


Para cego ver: Um parque num dia claro, céu azul, gramas verdes. um banco de madeira e pés de ferro no primeiro plano a esquerda e árvores ao fundo.Primeira obra da Raquel Linhares, que vocês já conhecem aqui no blog pelas ótimas resenhas de livros e já sabem a qualidade do que escreve. 

Deixa eu te contar me transporta para meados de 2010 onde ainda lia o querido blog dessa amiga e imaginava as situações excepcionais que ocorriam com ela. Foi uma ótima forma de recordar daquela época e só por isso já agradeço. 

sábado, 4 de agosto de 2018

Paralaxe - Lucio Abbondati Junior

Para quem ainda não sabe, já no prefácio, Lucio esclarece que paralaxe significa "um aparente deslocamento na posição de um corpo quando observado sob outro ângulo", ou seja, uma mudança do ângulo do observador que pode mudar completamente a sua interpretação do fatos. E com base nessa premissa que o autor desenvolveu 20 contos de ficção científica, todos com finais surpreendentes.

Apesar de serem todas histórias de ficção-científica, os temas secundários (ou melhor, os panos de fundo) variavam bastante. Nelas, o autor consegue exprimir bastante das suas visões políticas e seus receios - bastante atuais com o cenário do Brasil, nos brindando com uma pequena dose de utopia, tudo isso com uma criatividade de dar gosto.

Dos 20 contos, certamente tenho os meus preferidos. Cito três: (i) Arquivo Morto, onde um arqueólogo estuda o rumo de uma civilização inteira que simplesmente sumiu do mapa sem deixar rastros; (ii) O Cavalo de Tróia, onde há uma suspeita de que os mais altos governantes dos EUA estariam sendo aos poucos substituídos por seres extreterrestres e (iii) O Farol, o maior conto do livro, que é uma história linda onde os seres humanos reaprendem as suas relações com os outros e com o planeta. 

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Amoridades - André Salviano

Amoridades é o primeiro livro de André Salviano, uma obra que trata por meio de diversos contos, talvez o tema mais abordado pela humanidade: o amor. Escrever uma obra marcante, ou só mesmo diferente, sobre um tema tão falado é, por vezes, difícil, e Salviano consegue. 

A poesia da obra já começa pela maravilhosa e sutil capa: duas escovas de dentes juntas, simbolizando tanto a união quanto a rotina. A cada conto, o autor esmiúça uma faceta do amor e das suas fases: começo, meio, fim, recomeço, fossa, volta por cima. Tudo é retratado aqui neste livro, que nos impressiona, nos faz chorar, relembrar, desejar e até gargalhar vez ou outra. 

Cem Anos de Solidão - Gabriel García Márquez

José Arcádio Buendia , acompanhado de Úrsula Iguarán e seu primeiro filho, José Arcádio, saem da sua vila, Riohacha, com baús e malas e mais alguns conterrâneos e fundam a vila de Macondo, no absoluto meio do nada. Pouco tempo depois, nasce o primeiro habitante oficial de Macondo, filho do casal: Aureliano.   Em alguns anos, a família se completava, com o nascimento de Amarante e a adoção de Rebeca, a menina que comia terra.

A vila de Macondo começou a se civilizar aos poucos e receber visitas de forasteiros, como os ciganos. Um deles, Melquíades, trazia toda sorte de novidades de ciência e tecnologia e uma pitada de misticismo em suas visitas, levando, manuscritos indecifráveis que diziam prever o futuro. Ele e José Arcádio Buendía construíram aos poucos uma relação de extrema admiração e amizade. Com o passar dos anos, a família Buendía vai se desenvolvendo e aumentando, vivendo situações a cada geração mais fantásticas, ao passo em que Macondo sai da alcunha de vila e passa a alcunha de cidade, com a presença de capital estrangeiro, ferrovias, guerras políticas, assassinatos, etc.